sexta-feira, 24 de julho de 2009

Como entender as Lulas?

Essa semana nosso ilustríssimo senhor Presidente da República se Posicionou novamente em favor de Zézinho Sarney, presidente do Senado Federal, principal fonte de divergências políticas e de descontentamento público da atualidade em nosso país, exceto para certos indivíduos ímpares, como donos de pizzarias, banqueiros, enfim. Deixando a questão gastronômica de lado, Gostaria de me concentrar em nosso presidente Lula, homem bem visto pela sociedade e muito bem formado na Univida (Universidade da Vida), uma instituição com índices de empregabilidade excelentes, e de demasiado reconhecimento pelo MEC. Lula em sua passagem pela universidade, teve a oportunidade de se envolver em diversos cursos de direito, o que garantiu a sua naturalidade com as leis de nosso país, como também de oratória, o que garantiu o constante senso de humor em seus discursos.

O que nos é interessante é sua alegação na defesa de Zézinho: "Uma coisa é você matar, outra coisa é você roubar, outra coisa é você pedir um emprego, outra coisa é relação de influência, outra coisa é o lobby. O que acho é que nos temos que fazer as investigações corretas". É notável o domínio de Luiz Inácio sobre as leis e os processos jurídicos. Tentemos elaborar uma teoria para explicar tal afirmação: A realidade é que, para Lula, existem duas maneiras de se cometer um crime: Roubando ou Matando. Se a questão em pauta não se enquadrar em nenhuma das duas, ou for apenas semelhante a elas, não se caracteriza um crime. Portanto é compreensível a defesa sustentada por lula. Zézinho é uma boa pessoa, não matou, não roubou – Os casos de desvio de verbas não se caracterizam como roubo, pois de acordo com a jurisdição da univida, o ato se caracteriza por um processo de concessão de verbas, essa concessão garante a legitimidade dos atos de seu alvo, ou seja, o dinheiro é dado para o individuo para que efetive suas medidas, entretanto, se ele desistir delas, o dinheiro já foi dado, não compete mais à união.

A julgar por essas e outras, Lula continua enaltecendo o humor com sua oratória infalível. E demonstrando que as leis fazem parte de uma obra muito bem escrita e muito bem encapada, lida por diversos sábios, e assinadas por ele – Se até os sábios gostaram por que não ia assinar? – que ficam bem guardadas em algum lugar, em alguma biblioteca... Por isso comediante se da tão bem no Brasil. Nosso presidente por si só já é uma piada, não precisa ser muito gênio para rir de suas peripécias. A sorte de lula é que ele não é um deputado. Pois se fosse, Danilo Gentili iria se deliciar ao promover um "Controle de Qualidade" no Molusco.

Bibliografia: http://www.abril.com.br/noticias/brasil/coisa-roubar-outra-coisa-pedir-emprego-diz-lula-486388.shtml

terça-feira, 14 de julho de 2009

Banco imobiliário Brasil

Enquanto isso, no carpete da sala de tevê, durante o domingo chuvoso, Sarney se prepara para mais uma de suas rodadas no Banco Imobiliário.

Lá vão os dados, e Zé consegue a pontuação máxima, doze casas para andar. Sarney atinge o bairro Lago Sul. Lá está edificado o castelo de Agaciel... "Lago sul com um castelo, Aluguel: R$5 mi.". A sorte não está do lado de nosso amigo Zé. Entretanto ele parte para a negociação que termina enfim acertada: um cargo público daqui uns 3 anos está de bom tamanho para Maia... Sarney continua sua rodada, ele pode jogar novamente já que tirou números idênticos nos dados... Sua segunda tentativa é menos produtiva, mas acertou dois iguais novamente, dois quatros, lá vai ele para a casa "SORTE ou REVÉS", as traiçoeiras cartinhas de baralho: "SORTE: Criaram uma fundação cultural em seu nome, Receba os investimentos! R$1,3Mi". Quem diria que o jogo poderia virar desse jeito! Mas espere, ainda não acabou: Zé tem mais uma jogada, só que, se acertar números idênticos novamente pode ser preso! São as regras, ninguém pode burlá-las. Sem dúvida depois da calmaria vem a tempestade: Dois cincos, Sarney anda dez casas, mas deve ser preso! Antes disso, ele apresenta uma carta de "Sorte ou revés" : "SORTE: Imunidade Parlamentar : Você não precisa ir para a cadeia caso tenha que fazê-lo (Haja naturalmente)". Escapou desta! La vai ele novamente: Um alívio... Os dados somaram 13 casas, perfeitamente o necessário para Sarney parar na casa: "Parada-Livre: Não pague, nem vá para prisão enquanto estiver nesta casa." Finalmente sua vez terminou!

Agora que Zé terminou sua jogada, Agaciel pode jogar: Lança os dados e pára na casa "Imposto de Renda", Maia não tem muita escapatória com o leão, seu castelo vai pesar muito nesta hora, mas ele tem uma carta na manga! "SORTE: Sonegação de impostos: Quando cair numa casa de imposto de renda, pague o valor mínimo. (Aquilo não está no seu nome!)". E com apenas R$200,00 Maia livra-se do leão, que jogada de mestre!

Vez de Roseana, Sua pontuação nos dados é mais tímida, mas acertou a ilustre casa "Sorte ou Revés", a casa mágica que todos adoram! Lá vem sua carta: "SORTE: Despesas Bancadas pela União: O serviço de mordomo saiu por conta do fisco e você poupou R$12.000,00 Receba os juros". Quem diria hoje é dia de sorte de todos! Roseana Sarney termina sua rodada.

Segue-se a toada, eu me lembro quando era criança, que jogávamos, eu e meus amigos, o banco imobiliário, naqueles dias chuvosos de férias. O jogo, sempre inusitado, era muito bom porque com ele o tempo passava voando, além de nunca ter fim! Podíamos passar o dia inteiro jogando que o jogo não acabava, só se o tempo abrisse, daí então buscávamos outras diversões... Qual é mesmo a previsão do tempo pra Brasília?

Ruy Barros